Assinados os últimos contratos do Galileo

sexta-feira
19:18:04
julho
08 2011

Assinados os últimos contratos do Galileo

View 175.4K

word 900 read time 4 minutes, 30 Seconds

Com o lançamento dos primeiros satélites Galileo previsto para o mês de Outubro, a Europa termina os preparativos da infra-estrutura de terra. Os dois contratos assinados na semana passada, durante o Salon International de lAéronautique et de lEspace, compreendem o controlo da constelação e os serviços de navegação.

O sistema europeu de navegação por satélite começará a tomar forma no final deste ano, com o lançamento dos dois primeiros satélites de Validação em Órbita do Galileo, a bordo do primeiro voo do Soyuz, a partir da Guiana Francesa.
No entanto, o Galileo é muito mais do que uma constelação em órbita: o sistema de navegação precisa de uma complexa infra-estrutura de terra para monitorizar o estado dos satélites e para garantir a precisão dos serviços de navegação.

Dos seis pacotes de trabalho necessários para que o Galileo esteja a funcionar em pleno, quatro já estão em marcha e os dois que faltavam foram formalizados na cerimónia da semana passada, durante o Salon International de lAéronautique et de lEspace, em Le Bourget, Paris.

A cerimónia de assinatura destes dois contractos foi presidida por Laurent Wauquiez, Ministro francês dos Assuntos Económicos e por Jean-Jacques Dordain, Director Geral da ESA.

O Pacote de Trabalho 2 foi assinado por Reynald Seznec, Director da Thales Alenia Space France, e por Didier Faivre, Director do Galileo e das Actividades de Navegação da ESA.

O Pacote de Trabalho 3 foi assinado por Colin Paynter, Director Executivo da EADS Astrium e por Faivre.

Antonio Tajani, Vice-presidente da Comissão Europeia responsável pela Indústria e Empreendedorismo, realçou a importância destes dois contratos para o programa Galileo.

O controlo em terra da constelação Galileo

O Pacote de Trabalho 3 consiste na finalização do Ground Control Segment – a rede de estações de seguimento que monitorizará e controlará os satélites – durante a primeira fase operativa. Esta primeira fase constará de 18 satélites e estará operacional a meados desta década.

O centro de controlo em terra já está operacional para os quatro primeiros satélites, sendo formado pelo Centro de Controlo do Galileo, em Oberpfaffenhofen, na Alemanha, e por duas estações de Telemetria, Seguimento e Comando, sedeadas em Kourou, na Guiana Francesa, e em Kiruna, na Suécia.

O centro de controlo supervisiona a actividade dos satélites, enviando comandos automáticos de manutenção e permitindo a intervenção dos controladores da missão em eventos críticos.

Para a primeira fase de operações irá preparar-se um segundo centro de controlo em Fucino, Itália, e duas estações de seguimento em Numea, Nova Caledónia, e em São Denis, na Ilha de Reunião.

O controlo da missão Galileo

O Pacote de Trabalho 2 consiste nas actividades para a finalização do Ground Mission Segment, responsável pelo cumprimento da precisão do sistema e pelos serviços de navegação durante a primeira fase de operações.

Os receptores dos usuários calculam a sua posição e hora local medindo a distância a quatro ou mais satélites. Para alcançar os altos níveis de precisão oferecidos pelo sistema, cada satélite transporta um relógio atómico de altíssima precisão e a posição de cada satélite é controlada com grande exactidão.

Apesar disso, os relógios dos satélites podem adiantar-se ou atrasar-se, o que obriga a manter uma rede de estações de monitorização que controle a precisão dos relógios, a qualidade do sinal de navegação e a posição dos satélites em cada momento.

A informação recolhida por esta rede é enviada ao centro de controlo, que calcula as correcções necessárias e envia os comandos correspondentes aos satélites através da rede de estações de transmissão, garantindo a qualidade do serviço oferecido ao utilizador final.

O Ground Mission Segment também será capaz de retransmitir os sinais de busca e salvamento (SAR) detectadas pelos satélites às autoridades competentes e de distribuir os dados dos Serviços Comerciais do Galileo.

O Ground Mission Segment para os quatro primeiros satélites do Galileo já está operacional, sendo formado por um centro de controlo em Fucino, por oito estações de monitorização e por cinco estações de transmissão distribuídas por todo o mundo, no entanto sempre em território europeu.

Para a primeira fase de operações, o centro de controlo de Fucino irá ligar-se ao de Oberpfaffenhofen, de forma a que ambos sejam redundantes e irão construir-se oito estações de transmissão adicionais.

Source by esaint


LSNN is an independent publisher that relies on reader support. We disclose the reality of the facts, after careful observations of the contents rigorously taken from direct sources. LSNN is the longest-lived portal in the world, thanks to the commitment we dedicate to the promotion of authors and the value given to important topics such as ideas, human rights, art, creativity, the environment, entertainment, Welfare, Minori, on the side of freedom of expression in the world «make us a team» and we want you to know that you are precious!

Dissemination* is the key to our success, and we've been doing it well since 1999. Transparent communication and targeted action have been the pillars of our success. Effective communication, action aimed at exclusive promotion, has made artists, ideas and important projects take off. Our commitment to maintain LSNN is enormous and your contribution is crucial, to continue growing together as a true team. Exclusive and valuable contents are our daily bread. Let us know you are with us! This is the wallet to contribute.

*Dissemination is the process of making scientific and technical information accessible to a non-specialist public. This can come through various forms, such as books, articles, lectures, television programs and science shows.


Similar Articles / Assinado...o Galileo
from:
by:
01 gen 1970
from: astronomia
by: esaint
from: ladysilvia
by: esaint
from: astronomia
by: ASTRONOMIA_PER_TUTTI
from: astronomia
by: Esa_int